sábado, 24 de setembro de 2016

903 - O sabor do amido

Pesquisadores afirmam ter descoberto um sexto sabor que deriva de alimentos ricos em amido, como massas, batatas, pão e arroz
Acreditava-se que os seres humanos só poderiam detectar cinco diferentes sabores elementares: doce, salgado, azedo, amargo e, adicionado à lista de sete anos atrás, umami. Mas agora pesquisadores afirmam que somos capazes de detectar também o sabor do amido.
Juyun Lim, professora de Ciência e Tecnologia de Alimentos da Universidade Estadual do Oregon, conduziu a pesquisa que sugere que o nosso paladar pode detectar os carboidratos encontrados em alimentos como massas, batatas e pão.
"Toda alimentação tem uma importante fonte de hidratos de carbono complexos. A ideia de que não podemos provar o que estamos comendo não faz sentido", disse ela à New Scientist .
Para testar a teoria do sexto gosto, Dra. Lim e sua equipe dissolveram diferentes proporções de hidratos de carbono em soluções líquidas que foram dadas a 22 participantes, sendo estes em seguida solicitados a classificá-las quanto ao gosto.
"Eles descreveram um gosto de amido",disse Dra. Lim.
Anteriormente, muitos cientistas acreditavam que os seres humanos só poderiam provar o açúcar desses carboidratos após as enzimas da saliva quebrarem moléculas de amido em açúcares simples, deixando um sabor doce na boca.
No entanto, mesmo quando voluntários receberam um composto para bloquear a enzima da saliva, os receptores para o doce ainda eram capazes de sentir o sabor de amido – o que sugere que os seres humanos conseguem sentir o sabor do amido antes de a sustância ter sido dividida em açúcar.
Mas, como não foram identificados na língua humana os receptores específicos para o sabor do amido, este não pode ser considerado, até o momento, como um sabor elementar,
No Acta:
634 - Língua humana e carboidratos

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

902 - Carne e orações


Para escolher o local mais saudável para a construção de um hospital em Bagdá, no século IX, o médico Rasis pendurou pedaços de carne nos possíveis locais. Onde a carne ficou mais fresca por mais tempo foi o local que ele escolheu.

No século 12, São Bernardo de Claraval, chefe dos médicos da Igreja Católica Romana, proibiu os monges em seus hospitais de estudar textos médicos e de usar remédios, exceto orações.

Os hospitais foram uma grande inovação médica da Idade Média, cuja matriz era religiosa (pois assentava no principio cristão de assistência aos pobres, desamparados e doentes) e não exclusivamente científica. Apesar destes hospitais não se poderem comparar aos hospitais atuais, não se pode negar a importância que tiveram.

Alguns dos maiores hospitais europeus foram o Hôtel-Dieu em Paris, o Santo Spirito em Roma, o St. Thomas e o St. Bartholomew na Inglaterra etc.

Wikia

domingo, 18 de setembro de 2016

901 - O jardim das plantas venenosas

Trancadas por trás de portas de aço preto em Northumberland, Inglaterra, no jardim do Alnwick Castle, vicejam cerca de cem infames assassinos. Da beladona à cicuta, a única maneira de uma planta deitar raízes no local é se ela for venenosa para os seres humanos. Criado pela Duquesa de Northumberland, este é um jardim que você não vai querer visitar para cheirar as flores.
"ESTAS PLANTAS PODEM MATAR"
Algumas destas mesmíssimas plantas têm usos medicinais. Dosis sola facit venenum (só a dose faz o veneno), como disse o médico e alquimista suíço Paracelso.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

900 - Datas de validade nos alimentos não significam quase nada

A vida dos alimentos nas prateleiras parece que é um caso bem regulado, concreto, mas não é. Difere por região e tipo de alimento. No final, esses prazos não significam quase nada, o que leva a um desperdício de alimentos e a um pressuposto de segurança.
Para a maioria dos alimentos embalados, estas datas são geralmente deixadas ao critério do produtor de alimentos. Eles geralmente trabalham com empresas de terceiros, como The National Food Lab, que realizam testes para ver quanto tempo os alimentos levam para estragarem. Estas empresas deixam os alimentos em uma prateleira por dias, semanas, meses e criam um sistema de classificação para descrever a sua qualidade ao longo do tempo. Por vezes, é apenas um teste de gosto. Outras vezes, é sobre a aparência da comida, o que não tem nada a ver com o gosto ou o valor nutricional. Em qualquer caso, o teste não é particularmente científico ou indicativo da real segurança do alimento, e tudo isso é altamente subjetivo.
É impossível descobrir a data exata em que um alimento estragará
Nós gostamos de pensar que há uma data quantificável que vai nos dizer quando um alimento não serve mais, porém há muitas variáveis ​​para algo tão simples. Esse é o verdadeiro problema com datas de validade dos alimentos.
Quanto tempo a comida fica em um caminhão sendo transportada ou à espera de ser descarregada em um supermercado, quanto tempo ela fica exposta em gôndolas ou prateleiras do supermercado, quanto tempo ela fica no carrinho de compras, no carro e na despensa até ir para o freezer ou a geladeira. Etc.
Alimentos "vencidos" não é certo que vão deixá-lo doente. Significa apenas que a comida pode não ter o gosto tão bom. O que geralmente faz com que você fique doente são as bactérias patogênicas, como a Salmonella ou a E. coli, que podem viver em seu alimento antes de comprá-lo, ou mesmo persistirem depois de cozinhá-lo, se você não cozinhar o alimento corretamente. Não há nenhum rótulo ou linha do tempo que garante a sua comida estar livre das bactérias que podem deixá-lo doente. O crescimento bacteriano depende do tempo, da temperatura e do manuseio adequado dos alimentos – isso tudo é mais importante do que a data impressa. É também por isso que a comida tende a durar mais tempo no congelador da geladeira e no freezer. Não que eles matem todas as bactérias, mas porque podem atrasar ou impedir o crescimento bacteriano.
O que fazer para não depender das datas de validade
Então, se as datas são arbitrárias, o que se pode fazer? Bem, o teste do olfato ainda é a sua melhor opção. Se o alimenta cheira mal, ele vai ter gosto ruim. Seus olhos também podem dizer muito. Se a comida parece estragada, provavelmente o é. Da mesma forma, certas carnes, como o frango, tendem a obter uma textura viscosa e uma cor monótona quando estragam. Nós todos temos uma capacidade inata para dizer quando uma comida está podre ou estragada. Confie em seus sentidos.
Finalmente, a sua melhor aposta é a de armazenar os alimentos adequadamente para que eles realmente durem o tempo estimado. Certifique-se de que segue as regras básicas para descongelá-los. Mantenha os sentidos afiados para os sinais de deterioração e prepare seus alimentos corretamente para evitar a contaminação.
O fato é que as datas de validade, independentemente da linguagem que elas usam, pouco significam. Se valem um olhar quando você está no supermercado, porém elas são inúteis além desse ponto, e certamente não valem a confiança que a maioria de nós deposita nelas. Nós podemos fazer muito melhor com os nossos olhos e narizes.
Expiration Dates on Your Food Mean Nothing, por Thorin Klosowski. In: lifehacker

sábado, 10 de setembro de 2016

899 - Suicídio: Informando para prevenir



Cartilha orienta médicos sobre prevenção ao suicídio
Apresentação
Todos os anos são registrados cerca de dez mil suicídios no Brasil e mais de um milhão em todo o mundo.
Por sugestão da Comissão de Ações Sociais (CAS) do Conselho Federal de Medicina (CFM), essa silenciosa epidemia tornou-se uma das prioridades da Câmara Técnica de Psiquiatria da entidade que, com o apoio da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), lança esta cartilha, intitulada "Suicídio: informando para prevenir".
As entidades médicas acreditam em uma sociedade engajada na defesa pela vida e em gestores comprometidos com políticas públicas que realmente transformem esse cenário.
É possível prevenir o suicídio, desde que os profissionais de saúde, de todos os níveis de atenção, estejam aptos a reconhecer os seus fatores de risco.
Por isso há, neste trabalho, informações que podem ajudar a sociedade a desmitificar a cultura e o tabu em torno do tema e auxiliar os médicos a identificar, tratar e instruir seus pacientes.
Espera-se que esta contribuição ajude no enfrentamento deste grave problema de saúde pública.
Carlos Vital T. Corrêa Lima - Presidente do Conselho Federal de Medicina
Emmanuel Fortes S. Cavalcanti - Coordenador da Câmara Técnica de Psiquiatria

10 de setembro - Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio

CFM Publicações - Cartilha

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

898 - Alfabeto médico

Como seu médico aprende a escrever uma receita:
O médico e a caligrafia nem sempre caminham no mesmo sentido
428- Tenham um fantástico dia
Outros alfabetos de uso médico
505 - Um alfabeto epidemiológico | 570 - O alfabeto do cérebro

terça-feira, 6 de setembro de 2016

897 - Broncodilatadores

Os broncodilatadores são a pedra angular da terapia medicamentosa na DPOC. De acordo com a duração do efeito são classificados como broncodilatadores de curta ou longa duração de ação e quanto ao mecanismo de ação, em antimuscarínicos eβ2-agonistas. O tratamento regular com broncodilatadores de longa duração é mais eficaz e conveniente do que com os de curta duração de ação.
1. Broncodilatadores de curta duração de ação [6-8 horas]
1.1 β2-agonistas
- - - salbutamol
- - - fenoterol
- - - terbutalina
1.2 antimuscarínicos
- - - ipratrópio
2. Broncodilatadores de longa duração de ação
2.1  β2-agonistas (long-acting β2-agonists, LABA)
de 12 horas
- - - salmeterol
- - - formoterol
de 24 horas
- - - vilanterol
- - - olodaterol
- - - indacaterol
2.2 antimuscarínicos (long-acting muscarinic antagonists, LAMA)
de 24 horas:
- - - tiotrópio
3. metilxantinas
- - - teofilina
- - - roflumilaste

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

895 - Diretrizes da SBD, 2015-2016

Apresentação
A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) lança anualmente as Diretrizes com o objetivo de acompanhar os novos conhecimentos científicos na área de Diabetologia e entregar à sociedade médica o que há de mais atual no tema. Esse ano não foi diferente; escrita por profissionais com grande experiência clínica e conhecimento acadêmico, sob a coordenação editorial dos Drs. José Egidio Paulo de Oliveira e Sérgio Vencio, a obra está se tornando uma ferramenta cada vez mais importante para discutir temas relacionados ao diabetes, tanto no meio acadêmico como em hospitais e ambulatórios médicos, e conta com a difusão e o apoio da indústria, parceira a cada ano nessa ação educativa. Ao recebermos o reconhecimento de médicos e profissionais da saúde, quanto à qualidade e à atualidade da informação disponibilizada nas Diretrizes, nós, da SBD, temos a certeza de estarmos contribuindo com os objetivos da Sociedade de trazer o aperfeiçoamento profissional na assistência médica e tratamento do diabetes no Brasil.
Walter José Minicucci
Presidente da SBD – Gestão 2015-2016
Magnitude do problema
Uma epidemia de diabetes mellitus (DM) está em curso. Atualmente, estima-se que a população mundial com diabetes seja da ordem de 387 milhões e que alcance 471 milhões em 2035. Cerca de 80% desses indivíduos vivem em países em desenvolvimento, onde a epidemia tem maior intensidade e há crescente proporção de pessoas acometidas em grupos etários mais jovens, as quais coexistem com o problema que as doenças infecciosas ainda representam.

domingo, 28 de agosto de 2016

894 - A assimetria escrotal no homem e nas antigas esculturas


O Prêmio Ig Nobel 2002 de Medicina foi atribuído a Chris McManus, da University College London, por seu relatório científico, "Scrotal Asymmetry in Man and in Ancient Sculpture" (A Assimetria Escrotal no Homem e nas Antigas Esculturas).
(Este relatório foi publicado na revista Nature, de 5 de fevereiro de 1976, na página 426, sendo a reportagem de capa da edição.)
Mas...
Como algumas pessoas se preocupam mais com o tamanho do pênis do que com a assimetria dos testículos...
Para essas pessoas, Sarah Rense deitou e rolou sobre o seu assunto favorito, em um relatório publicado na Esquire, com o título: "The Real Reason Why Greek Statues Have Such Small Penises" (A Verdadeira Razão pela qual as Estátuas Gregas têm os Pênis Pequenos).
(http://www.improbable.com/2016/08/07/scrotal-asymmetry-in-man-and-in-ancient-sculpture-etc/)

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

893 - O Dossiê Abrasco. Impactos dos Agrotóxicos na Saúde


ALGUNS NÚMEROS SOBRE AGROTÓXICOS NO BRASIL 
64%
dos alimentos estão contaminados por agrotóxicos (Anvisa, 2013)
34.147
notificações de intoxicação por agrotóxico foram registradas de 2007 a 2014 (MS/DataSUS)
288%
de aumento do uso de agrotóxicos entre 2000 e 2012 (Sindag)
U$12 bi
foi o faturamento da indústria de agrotóxicos no Brasil em 2014 (Andef)
Depois de causar grande impacto em 2012, o Dossiê Abrasco sobre Agrotóxicos ganha nova edição. A publicação, com mais de 600 páginas, colorida e ilustrada, inclui a revisão do Dossiê de 2012 e uma quarta parte inédita. Este capítulo, concluído em outubro de 2014, foi dedicado a atualização de acontecimentos marcantes, estudos e decisões políticas, com informações que envolvem os agrotóxicos, as lutas pela redução dessas substâncias e pela superação do modelo de agricultura químico-dependente do agronegócio.
Abrasco: Associação Brasileira de Saúde Coletiva

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

892 - Acuidade auditiva e habilitação para conduzir veículos

Procedimentos para a prova da voz coloquial
1. A prova deverá realizar-se em local silencioso, onde não haja interferência de ruído de tráfego e que tenha pouca reverberação, com o examinador situado a uma distância de dois metros do candidato, em ambas as orelhas simultaneamente.
2. O examinador deverá assegurar-se de que, durante esta prova, as palavras sejam pronunciadas com calma e volume constante.
3. O examinador não deverá inspirar profundamente antes de pronunicar cada palavra, pois, do contrário, correrá o risco de que cada início de emissão seja muito forte.
4. As melhores palavras para esta prova são as dissílabas, tais como casa, dama, tronco.
5. O examinador deverá assegurar-se de que o candidato não veja os seus lábios, pois neste caso, os resultados poderão ser afetados pela sua capacidade de leitura labial.
Fonte: Anexo IV da Resolução nº 267 do Conselho Nacional do Trânsito (CONTRAN)
Ver também:
50 - Distúrbios do sono e habilitação para conduzir veículos

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

891 - Palestra. Asma e DPOC

Esteve em Fortaleza para proferir uma conferência sobre Asma e DPOC o Dr. Oliver Nascimento, médico assistente da Disciplina de Pneumologia Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
O evento aconteceu na noite de quarta-feira (17 de agosto), no Hotel Gran Marquise, contando com o comparecimento de pneumologistas, pediatras e alergologistas que atuam em nossa cidade.
Diretrizes brasileiras para o manejo da DPOC
Tópicos
Asma e DPOC: doenças inflamatórias. ► Estimativas para o Brasil: 20 milhões de casos de asma e 7 milhões de casos de DPOC. ► Subdiagnóstico da DPOC relacionada a vários fatores, principalmente à baixa utilização da espirometria. ► LABA + LAMA vs LABA + CI ► Relvar (GSK): fluticasona 200 mg (p/ asma) e 100 mg (p/DPOC) + vilanterol 25mg ► Ellipta: inalador de pó seco c/ contador e de baixa resistência interna (fluxo inspiratório: a partir de 40 L/min) ► Internações por asma no Brasil: redução de 400 mil em 2002 para 200 mil em 2011.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

890 - Os cigarros de cravo da Indonésia

Os kreteks são cigarros aromatizados e também conhecidos como cigarros de Bali, devido à origem na Indonésia.
Diferenciam-se do cigarro comum pela adição de 30-40% de cravo à mistura de tabaco. Quando esse cigarro é fumado, a queima do cravo produz um som característico ("crec-crec") que deu origem ao nome.
Os cigarros do tipo kreteks produzem teores de alcatrão, nicotina e monóxido de carbono maiores que os cigarros comuns. A queima do cravo também produz outros compostos tóxicos. Além disso, o eugenol, que é um composto presente no cravo, possui um efeito anestésico, que faz com que o fumante inale mais profundamente a fumaça. E, por isso, esses cigarros causam danos mais graves à saúde. Diversos estudos científicos têm demonstrado que a incidência de câncer é maior nos fumantes de kreteks do que nos fumantes de cigarros comuns.
Fumantes de kreteks têm também risco maior de desenvolver asma e infecções respiratórias do que fumantes de cigarros convencionais. Como o cravo contém uma grande quantidade de eugenol, que tem um efeito anestésico, os fumantes tendem a aspirar maior quantidade de fumaça.
Fonte: Anvisa
Referências Bibliográficas
1.HEALTH CANADA. Clove and Herbal Cigarettes. Disponível em: http://www.hc-sc.gc.ca/hecs-sesc/tobacco/prof/cessation_ program/other_opt_en.html#10. 2.MALSON, JL, et. all. (2003). Clove cigarette smoking: biochemical, physiological and subjective effects. Pharmacol Biochem Behav. 2003:74;739–745. 3.HEALTH CANADA. Clove and Herbal Cigarettes. Disponível em: http://www.hc-sc.gc.ca/hecs-sesc/tobacco/prof/cessation_program/other_opt_en.html#10 4.AMERICAN CANCER SOCITY. The Tobacco Atlas. Disponível em: http://www.tobaccoatlas.org/typesoftobacco.html 5.LAVOIE, E.J. (1989). Toxicity Studies on Clove Cigarrete Smoke and Constituens of Clove: Determination of the LD50 of Eugenol by intratracheal Instillation in Rats and Hamsters. . Archieves of Toxicology 63:1-6, 1989. 6.CLARK, G.C. (1989). "Comparasion of kretek (clove cigarette) smoke with that of American cigarrete smoke", Archives of Toxicology 63:1-6. Disponível em: http://www.gethealthyclarkcounty.org/tobacco/bidis-kreteks.html
Vídeo

domingo, 7 de agosto de 2016

887 - Informação incompleta: o caso do pênis mordido pelo burro

Alguns relatórios médicos publicados dão informações incompletas, induzindo a frustração nos leitores intelectualmente curiosos.
Este estudo recém-publicado exemplifica o problema:
Total phallic reconstruction using the radial artery based forearm free flap after traumatic penile amputation (Reconstrução fálica total usando a artéria radial  em amputação peniana).Marco Falcone, MD, Giulio Garaffa, MD, PhD, FRCS(Eng), Amr Raheem, MD, Nim A. Christopher, MPhil, FRCS(Urol), and David J. Ralph, FRCS(Urol), Journal of Sexual Medicine, vol. 13, 2016, pp. 1119-1124.
Os autores, radicados em Londres, Reino Unido, Turim, Itália, e Cairo, Egito, relacionam as causas de amputação de pênis:
acidentes de trânsito (n = 3),
lesão por explosão (n = 3)
auto-amputação devido a um episódio agudo de esquizofrenia (n = 2),
gangrena de Fournier (n = 1)
mordida de burro (n = 1)
O estudo não inclui nenhuma informação adicional sobre o burro.
(http://www.improbable.com/2016/06/21/incomplete-info-the-case-of-the-donkey-bitten-member/)

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

886 - A cor para desencorajar o vício de fumar

As cores podem evocar uma série de associações e algumas delas, aparentemente, têm o poder de impactar negativamente com o nosso humor. É o caso da tonalidade Pantone 448 C, também chamada de "couché opaca", que lembra a cor de um esgoto de verdade.
No entanto, esta tonalidade recebeu uma importante missão. Em todo o espectro do arco-íris, foi aquela escolhida para desencorajar o tabagismo. Um breve olhar para esta amostra irá convencê-lo das habilidades para a quebra de vícios. Não é para os fracos de coração, mas aqui está:
Nojenta, certo? Voltemos a 2012, quando o governo australiano contratou a agência de pesquisas GfK para criar um novo design de embalagem para os produtos do tabaco. Sendo que, em vez da meta habitual de uma empresa de marketing, eles tiveram que fazer exatamente o oposto. Cada caixa de cigarros tinha de parecer tão desagradável quanto possível.
Três meses após, com sete estudos envolvendo mais de 1000 fumantes regulares, eles finalmente determinaram a cor mais desagradável – para ser impressa, juntamente com as novas advertências ilustradas, nas caixas de cigarros. Também estiveram no pelotão de frente: o verde-limão, o branco, o bege, o cinza-escuro, e a mostarda-marrom, que ficou em segundo lugar parecendo inclusive muito apetitosa (chocolatey!).
Proclamado o vencedor (ou o perdedor, neste caso), o governo anunciou-o pelo nome de "olive green" (verde-oliva). Mas, depois de uma carta urgente da Australian Olive Association, mudou o apelido para "drab dark brown" (marrom-escuro apagado).
(Sem ressentimentos, azeitonas?)
Graças à conclusão desses estudos coloridos, outros países também estão adotando a tonalidade. Como a Irlanda, o Reino Unido e a França (que aprovou recentemente a sua lei da "embalagem simples", com representações que caracterizam a tonalidade).
Agora, o "apagado" talvez possa ter conseguido o melhor papel de sua vida.
A cor do ano da Pantone em 2013, 2014 e 2015.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

885 - Palestra. Tendências na prevenção e tratamento da alergia pelo leite de vaca

O que considerar na decisão terapêutica e seus impactos na indução da tolerância oral
Esteve em Fortaleza para proferir a conferência Distúrbios funcionais do tubo digestivo no lactente a Dra. Ariana Campos Yang, do Serviço de Imunologia Clínica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo.
O evento aconteceu na noite de quinta-feira (28 de julho), no restaurante Cabaña del Primo, e contou com a audiência de pediatras, alergologistas e gastroenterologistas de nossa cidade.
Tópicos
Manifestações clínicas: urticária, angioedema, protocolite, refluxo gastroesofágico, dermatite atópica, esofagite eosinofílica etc. ► Classificação: IgE mediada (antígeno até 2 horas antes) – mista – não IgE mediada (antígeno até dias antes) ► A partir da manifestação clínica: qual é o mecanismo? ► "Urticária que vai e volta não é alergia alimentar" ► Mantra: teste de alergia não faz diagnóstico de alergia ► Componentes alergênicos do LV: beta lactoglobulina (termolábil), alfa lactoalbumina (termolábil), caseína, albumina sérica bovina (também na carne) etc. ► Leite de vaca x leite de cabra (92%) x leite de égua (4%) ► Restrição em paciente sensibilizado (não alérgico) aumenta risco de anafilaxia ► O "boom" das AA: parto cesáreo, fórmulas de LV, outros alimentos ► Ambiente x genética x microbioma ► Importantes: lactobacilos e bifidobactérias ► Linfócito: reagir? tolerar? – toda tolerância é aprendida ► Medidas fisiológicas: parto normal, retirada do cáseo só após 48 horas, aleitamento materno, fórmulas infantis com proteína intacta ► Não retardar a introdução dos alimentos sólidos ► Escolha da fórmula: 1) ser tolerada, 2) favorecer microbiota, 3) nutrição adequada e 4) promover tolerância ► O leite materno é rico em prebióticos; lactentes que não estejam em aleitamento materno exclusivo devem receber suplementos prebióticos
Imunoterapia - A dessensibilização alimentar
Link para um artigo publicado no Correio Braziliense em que a alergologista Ariana Yang é entrevistada.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

884 - Bocejar é contagioso

O bocejo, essa inspiração longa, com a boca aberta, e acompanhada pelo ato de espreguiçar, é mesmo um mistério. Teorias diversas já foram criadas para explicar por que acontece. Como a que relaciona o reflexo em questão com os momentos de baixo metabolismo do corpo.
Mas...
Que diz a intuição?
O bocejo é causado por tédio, fadiga ou sonolência. Aliás, é uma forma que o organismo encontrou para driblar o sono.
Bebês, antes mesmo de deixarem o útero materno, já foram vistos bocejando...
E esse reflexo não é privativo da espécie humana. Cães, gatos, ratos, pássaros e até cobras bocejam, sabiam?
Além disso, bocejar é contagioso.
"The yawn wave"

terça-feira, 26 de julho de 2016

883 - Embolia gasosa por gás hélio. Relato de 2 casos

Washington, 28/06/1996 -- Um menino saudável, de 13 anos de idade, experimentou um efeito potencialmente fatal para um divertimento quando ele inalou gás hélio diretamente de um tanque pressurizado. Depois de inalar o gás em uma festa, o menino ficou inconsciente, e teve uma convulsão durante dez minutos. No setor de emergência em que foi atendido, os médicos descobriram que ele havia sofrido uma embolia gasosa cerebral – um acidente vascular cerebral temporário causado por bolhas de ar na corrente sanguínea –, além de danos nos pulmões pela expansão pulmonar rápida e descontrolada. "Normalmente, inalar hélio de balões não causa problemas", diz Bing Pao, MD, autor principal do estudo. "Mas inalar o gás a partir de um tanque pressurizado pode ser potencialmente letal." Após o diagnóstico, o menino foi transferido para uma câmara hiperbárica na Universidade da San Diego, na Califórnia. Ele passou por várias sessões na câmara – um equipamento pressurizado para tratar o mal dos mergulhadores – e saiu completamente recuperado. Nos últimos anos, crianças e adultos têm inalado o hélio de balões (bexigas) para produzir vozes agudas (como de personagens dos desenhos animados). No entanto, os tanques pressurizados de hélio só recentemente tornaram-se disponíveis para o público nas festas. "Este é o primeiro caso, tanto quanto sabemos, de alguém que sofreu de uma embolia gasosa cerebral por inalar hélio", observa Dr. Pao. "Mas há um potencial para problemas futuros, especialmente para adolescentes". Fonte: American College of Emergency Physicians
http://goo.gl/HVYSsv

Uma cantora mirim japonesa entrou em coma depois que uma brincadeira durante um programa de televisão deu errado. A menina de 12 anos, que integra o grupo pop 3B Junior, participava de um jogo que envolvia mudar a própria voz inalando gás hélio, no dia 28 de janeiro. Depois desta brincadeira, ela ficou inconsciente. Acredita-se que a cantora, cujo nome não foi revelado, tenha sofrido uma embolia gasosa, o que restringiu o fornecimento de sangue para o cérebro. Alguns dias após, a menina saiu do coma, segundo o jornal Japan Today. Mas, depois de acordar, os movimentos dela estão limitados e a cantora não consegue falar claramente. O canal de televisão que gravou o jogo do qual a cantora participava, a TV Asahi, pediu desculpas à família dela. Eles afirmaram que a lata do gás hélio inalado pela cantora tinha a inscrição "apenas para uso de adultos", mas os produtores não viram o alerta. Inalar o gás hélio de balões para modificar a voz é um truque conhecido. Mas, em alguns casos, pode ser muito perigoso. "Além da voz fina, outros efeitos potenciais do gás hélio são tontura, dor de cabeça e asfixia", segundo a Agência de Saúde Pública da Grã-Bretanha. "Se alguém apresentar estes sintomas, ao inalar gás hélio, o conselho é levar a pessoa para respirar ar fresco imediatamente. Se os sintomas persistirem, pode ser necessário administrar oxigênio, obtenha então ajuda médica imediatamente", acrescentou a agência.
http://goo.gl/5L6x6C

sábado, 23 de julho de 2016

882 - Anvisa propõe proibir termômetros com mercúrio no país

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, abriu consulta pública para discutir a proibição da fabricação, da importação e a venda de termômetros e tensiômetros com coluna de mercúrio no país.
Esses aparelhos têm uma coluna transparente, contendo mercúrio no interior, com a finalidade de aferir os valores de temperatura corporal (no caso do termômetro) e pressão arterial (no caso do tensiômetro).
De acordo com a Anvisa, a proposta de proibir o uso desses equipamentos no país faz parte do compromisso do Brasil em banir produtos com mercúrio até 2020. "A Anvisa, assim como outros órgãos da administração pública, está comprometida com a Convenção de Minamata, onde 140 países, incluído o Brasil, firmaram compromisso para o controle do uso e redução de emissões e liberações do mercúrio para a natureza. Um dos compromissos é o banimento de produtos que contém mercúrio até 2020. A proibição da substância é uma tendência mundial".
A agência destaca que no mercado já existem os termômetros e tensiômetros digitais, alternativos aos com a coluna de mercúrio. "Esses dispositivos [digitais] também possuem a sua precisão avaliada compulsoriamente pelo Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade e são ambientalmente mais sustentáveis". A proposta propõe ainda o fim do uso dos equipamentos nos serviços de saúde do país.
Os comentários e sugestões para a consulta pública podem ser enviados em até 60 dias pela internet ou por carta para o endereço: Agência Nacional de Vigilância Sanitária/Gerência-Geral de Tecnologia de Produtos para Saúde, SIA trecho 5, Área Especial 57, Brasília-DF, CEP 71.205-050. As contribuições internacionais deverão ser direcionadas a Agência Nacional de Vigilância Sanitária/Assessoria de Assuntos Internacionais (Aint), no mesmo endereço.
Minamata
É uma cidade japonesa que sofreu graves conseqüências devido à contaminação por mercúrio. Centenas de pessoas morreram e milhares tiveram anomalias que acabaram passando para as novas gerações.
Na década de 30, uma empresa se instalou na região, a Chisso. A empresa, que fabricava acetaldeído (usado na produção de material plástico), jogava seus resíduos com mercúrio na baía da cidade, contaminando os peixes. Como a doença leva anos para se desenvolver, somente em 1956 começaram a surgir os primeiros casos da doença.
Os hospitais recebiam pessoas com os mesmos sintomas: problemas no sistema nervoso e no cérebro, causando dormência nos membros, fraquezas musculares, deficiências visuais, dificuldades de fala, paralisia, deformidades levando até mesmo à morte.
No princípio, as autoridades acreditavam que se tratava de uma epidemia, mas os gatos começaram apresentar doenças com as mesmas semelhanças. Somente de dez anos depois os médicos descobriram a causa: o consumo de peixe contaminado por mercúrio, a base da alimentação daquela população. Fonte:Cetem

quarta-feira, 20 de julho de 2016

881 - A tecnologia FORA MOSQUITOS

A função anti-mosquito foi incorporada em alguns televisores da marca LG que estão sendo comercializados na Índia. Os modelos com esta tecnologia emitem frequências ultrassônicas que são inaudíveis para os seres humanos, porém afugentam os mosquitos.
Transmissor da malária, da zika e de outras enfermidades, o mosquito é o animal mais mortífero da Terra, causando a morte de 725 mil pessoas a cada ano. A mudança climática não faz senão incentivar a proliferação deles. e o desenvolvimento de ideias para combater os mosquitos inclui o uso do laser.
A mesma tecnologia para repelir mosquitos também está presente em outros produtos do ramo indiano da empresa sul-coreana, como aparelhos de ar condicionado e máquinas de lavar louça, conforme pode ser lido na LG Electronics Sells Mosquito-Repelling TV in India.
Embora funcione mesmo se a TV estiver desligada, a empresa avisa que o recurso não pretende ser um substituto para outros sistemas e medidas de controle de mosquitos.
No Acta:
136 - Vacinadores voadores
396 - Aedes transgênico
569 - Picadas de insetos
834 - A técnica do inseto estéril
860 - O painel mata-mosquito
Pensamento:
"Em um mundo melhor mosquito chuparia gordura em vez de sangue."
Sátira:
Poema sobre uma noite de amor

domingo, 17 de julho de 2016

880 - A redução do consumo de sal pelo brasileiro

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os adultos não devem consumir mais do que 5g de cloreto de sódio (sal de cozinha) diariamente. Entretanto, o consumo diário médio do brasileiro é de 12 g, mais do que o dobro do recomendado.
O problema é que esse excesso de sódio no organismo pode provocar doenças como a hipertensão arterial, além de complicações cardiovasculares e renais.
Para conscientizar a população sobre os riscos desse consumo exagerado de sal, o Ministério da Saúde criou em 2011 um programa de cooperação para reduzir o sódio de alimentos em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (ABIA). Graças a essa iniciativa, desde o início do acordo até o final de 2015, mais de 14,9 toneladas de sódio já foram retirados dos produtos processados.
A meta é que, até 2020, 28,5 toneladas sejam retiradas da alimentação dos brasileiros.
O plano de redução tem quatro etapas, sendo que os dados de três dessas fases já estão sendo divulgados. Os alimentos das três etapas iniciais foram: pão de forma, bisnaguinha, macarrão instantâneo, bolos, snacks de milho, maionese, biscoitos, margarinas, cereais matinais, caldos e temperos.
No ano que vem serão divulgados os dados de redução de sódio para os seguintes produtos: empanados, hambúrgueres, linguiça, mortadela, presunto, queijo mussarela, requeijão, salsicha e sopas.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

879 - A revisão do Código de Ética Médica

Está aberta à participação dos médicos e das entidades da sociedade civil a revisão do atual Código de Ética Médica.
As contribuições para a revisão, que já podem ser enviadas e apresentadas por meio do hotsite www.rcem.cfm.org.br, são muito importantes para discutir e aperfeiçoar a prática profissional, frente às necessidades da sociedade brasileira e aos avanços científicos e tecnológicos.
Atualmente, o Código de Ética Médico, revisto e atualizado em 2009, é composto de um preâmbulo com seis incisos, além de 25 incisos de princípios fundamentais, 10 incisos de normas diceológicas (direitos profissionais), 118 artigos de normas deontológicas (deveres) e quatro incisos de disposições gerais.
A Linha do Tempo do Código
1867 - Gazeta Médica da Bahia publica uma tradução portuguesa do Código de Ética Médica da Associação Médica Americana.
1929 - O Boletim do Sindicato Médico Brasileiro publica o Código de Moral Médica, uma tradução do código de mesmo nome aprovado pelo VI Congresso Médico Latino Americano.
1931 - É aprovado no I Congresso Médico Sindicalista o Código de Deontologia Médica, que também estabeleceu a criação de um “Conselho de Disciplina Profissional”.
1945 - Surge o primeiro Código de Ética Médica oficialmente reconhecido pelo Governo brasileiro (Decreto-lei nº 7.955). Além de pôr em vigor o citado Código, o texto, aprovado no IV Congresso Médico Sindicalista, criou os Conselhos Federal e Regionais de Medicina.
1953 - É elaborado o Código de Ética da Associação Médica Brasileira, baseado no juramento de Hipócrates e na declaração de Genebra, adotada pela Organização Mundial de Saúde, e no Código Internacional de Ética Médica.
1965 - Já no âmbito dos Conselhos de Medicina, foi inspirado em códigos sueco, americano e inglês.
1984 - Com algumas modificações, entra em vigor um novo Código, agora Código de Deontologia Médica.
1988 - Como parte do processo de redemocratização, o novo Código resultou da 1ª Conferência Nacional de Ética Médica. O texto foi considerado bastante avançado para a época, por contemplar questões amplas no âmbito da medicina, da saúde e da sociedade.
2009 - Trouxe avanços que envolveram áreas importantes como conflitos de interesses, ensino médico, terminalidade da vida, novas tecnologias e autonomia profissional.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

878 - Carros estacionados ao sol ficam perigosamente quentes

Citações por especialistas
"As crianças morrem em carros com a temperatura tão baixa quanto 17 graus. Basicamente, o carro torna-se uma estufa. Em 21 graus, em um dia de sol, depois de meia hora, a temperatura no interior de um carro é de 40 graus. Depois de uma hora, pode chegar a 45 graus."
- Jan Null, professor adjunto na Universidade Estadual de San Francisco [http://noheatstroke.org/]
Quando as temperaturas exteriores variam entre 27 e 38 graus, a temperatura dentro de um carro estacionado ao sol pode rapidamente subir para entre 54 e 78 graus.
- Centro de Controle e Prevenção de Doenças
Em termos de calor, o aumento ao longo de um tempo, faz pouca diferença se as janelas de um carro estão fechadas ou parcialmente abertas. Em ambos os casos, a temperatura no interior de um carro pode subir de cerca de 40 graus, dentro de uma hora, até mesmo quando a temperatura exterior é apenas de 22 graus.
- American Academy of Pediatrics, estudo  de 2005
Mesmo em um dia relativamente frio, a temperatura no interior de um carro estacionado pode rapidamente subir a níveis perigosos se faz sol lá fora, afirmam pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Stanford. Eles esperam que essa descoberta acabe com o equívoco de que um carro estacionado pode ser um lugar seguro para uma criança ou um animal de estimação em clima ameno. "Há casos de crianças que morreram em dias amenos quanto 21 graus" disse a autora Catherine McLaren, MD instrutora em medicina de emergência. "Embora investigações anteriores tenham documentado os picos de temperatura dentro de um carro em dias extremamente quentes, esta é a primeira vez que alguém olha para os dias mais frios".
- Carros estacionados ficam perigosamente quentes, mesmo em dias frios, estudo da Universidade de Stanford de 2005
Aumento médio da temperatura no interior de uma veículo fechado, com o tempo

sexta-feira, 8 de julho de 2016

877 - A descoberta da praia

Édouard Manet
Até o século 18, a beira-mar não era um lugar que as pessoas fossem para relaxar. Nos tempos antigos, era onde você podia correr o risco de ser atacado por monstros marinhos como Cila e Caríbdis, piratas sanguinários ou mesmo pegar a varíola. Então, algo mudou. O historiador da Universidade de Sorbonne Alain Corbin explora esta história incomum no livro "The Lure of the Sea: The Discovery of  the Seaside in the Western World, 1750-1840" (O Fascínio do Mar: A Descoberta da Praia no Mundo Ocidental, 1750-1840), uma das fontes para um artigo fascinante na revista Smithsonian sobre a "invenção da praia":
Por volta de meados do século 18, de acordo com Corbin, as elites europeias começaram a divulgar as qualidades curativas do ar fresco, dos exercícios e dos banhos de mar. Especialmente na Grã-Bretanha, onde aristocratas e intelectuais estavam preocupados com a própria saúde. Eles viam os trabalhadores, nas fábricas e novas cidades industriais, com a destreza física reforçada através do trabalho. Em comparação com estes, as classes economicamente superiores pareciam frágeis e decadentes. A noção do "mar restaurador" nascia. Médicos prescreviam um mergulho em águas frias para revigorar e animar. O primeiro resort à beira-mar foi aberto na costa oriental da Inglaterra, na pequena cidade de Scarborough, perto de York. E outras comunidades costeiras surgiram para atender uma clientela cada vez maior de banhistas, que procuravam tratamento para uma série de condições: raquitismo, lepra, tuberculose, gota, impotência, problemas menstruais, melancolia e histeria. Em uma versão anterior da cultura de bem-estar de hoje, a prática de banhos de mar havia entrado para o mainstream.
Descrevendo esta reviravolta notável do "despertar irresistível de um desejo coletivo para a costa marítima", Corbin conclui que, em 1840, a praia passou a significar algo novo para os europeus. Tornou-se um lugar de consumo humano; um cobiçado "escape" da cidade e do trabalho penoso da vida moderna. A ascensão da indústria e do turismo facilitou este processo cultural e comercial. A viagem tornou-se acessível e fácil. e famílias da classe média buscavam a costa em números cada vez maiores. "On the beach" (na praia), no jargão dos marinheiros, em vez da conotação de desamparo (ser preso ou deixado para trás), agora transmitia a ideia de saúde e prazer. E o termo "vacation" (férias), antes utilizado para descrever uma ausência involuntária no trabalho, era a partir de então um interlúdio desejado. (PGCS)
Inventing the Beach: The Unnatural History of a Natural Place (Smithsonian)
The Lure of the Sea: The Discovery of the Seaside in the Western World, 1750-1840 (Amazon)

terça-feira, 5 de julho de 2016

876 - A ressonância magnética dos órgãos genitais masculinos e femininos durante o coito e a excitação sexual feminina

Autores: Willibrord Weijmar Schultz, professor associado de ginecologia, Pek van Andel, fisiologista, Ida Sabelis, antropóloga, Eduard Mooyaart, radiologista
Resumo
Objetivo: Para saber se a tomada de imagens dos órgãos genitais masculinos e femininos durante o coito é viável e para descobrir se as idéias anteriores e atuais sobre a anatomia durante a relação sexual e durante a excitação sexual feminina são baseadas em suposições ou em fatos.
Desenho: Estudo observacional.
Ambiente: Hospital Universitário, na Holanda.
Métodos: A ressonância magnética foi usada para estudar a resposta sexual feminina e masculina e a órgãos genitais femininos durante o coito. Treze experimentos foram realizados com oito casais e três mulheres solteiras.
Resultados: As imagens obtidas mostraram que durante o coito na posição do missionário o pênis tem a forma de um bumerangue e 1/3 do seu comprimento consiste na raiz do pênis. Durante a excitação sexual feminina sem penetração o útero foi levantado e a parede vaginal anterior foi alongada. O tamanho do útero não aumentou durante a excitação sexual.
Conclusão: Tomar imagens de ressonância magnética dos órgãos genitais masculinos e femininos durante o coito é viável e contribui para a compreensão da anatomia.
BMJ 1999 ; 319 doi: http://dx.doi.org/10.1136/bmj.319.7225.1596 (publicada em 18 de Dezembro de 1999)
O vídeo histórico dessa ressonância magnética já ultrapassou a marca de 4,5 milhões de visualizações no YouTube.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

874 - Exercício Kegel

Vamos combinar o seguinte:
Popeye e Brutus testam a força, Olívia, a elasticidade, e vocês leitores, a argúcia.
– Esta cena foi antes ou depois do espinafre?
– AE. Caso contrário Olívia apareceria faltando um braço no episódio subsequente.
N. do E.
Quando os braços de Olívia Palito são esticados, as pernas também respondem. Na verdade, isso tudo está sendo para Olívia um exercício Kegel (para fortalecer os músculos do assoalho pélvico).

domingo, 26 de junho de 2016

873 - O esfíncter anal, segundo WC

O proctologista W.C. Bornemeier explica por que o esfíncter anal deve ser preservado ao se realizar uma cirurgia de hemorroidas:
"Dizem que o homem teve o sucesso que os outros animais não tiveram por causa do uso inteligente das mãos. No entanto, quando comparado com as mãos, o esfíncter anal é bem superior. Se você colocar em suas mãos em concha uma mistura de sólidos, líquidos e gases e, em seguida, através de uma abertura na parte inferior, tentar deixar somente o gás sair, você irá falhar miseravelmente. Mas o esfíncter poderá fazê-lo. O esfíncter, aparentemente, consegue diferenciar entre sólidos, líquidos e gases. Ele, aparentemente, sabe se seu proprietário está sozinho ou com alguém, em pé ou sentado, e se o seu proprietário está em um dado momento com as calças ou não. Nenhum outro músculo do corpo protege tão bem a dignidade do homem e está sempre pronto para vir em seu socorro. Um músculo como este vale a pena ser protegido."
Tradução: PGCS
- W.C. Bornemeier, "Sphincter Protecting Hemorrhoidectomy"American Journal of Proctology 11 (1960), 48-52.

No Acta: 177 - Um termograma explicado

quinta-feira, 23 de junho de 2016

872 - Um atestado médico para fim de beber

O ano era 1931, e Churchill estava em uma turnê de palestras nos Estados Unidos. À época, estava em vigor no país a lei seca, e Winston devia saber que faria uma longa viagem sem libações.
Em Nova York, ao atravessar uma rua, Churchill foi atropelado por um carro.
Levado às pressas para um hospital, ele foi tratado de um ferimento na cabeça, um nariz e várias costelas quebradas, entre outras lesões.
Ao deixar o hospital, ele foi para as Bahamas para descansar e curar-se completamente. Mas ele ainda queria completar a sua turnê de palestras.
O médico que cuidara de Churchill em Nova York não achou que prosseguir com a turnê fosse uma boa ideia, tendo em vista os ferimentos do seu paciente, mas encontrou a melhor maneira possível para aliviá-lo do sofrimento.
Ele deu a Churchill um atestado médico. Contornando a lei seca, o documento lhe permitia ter acesso ao álcool que quisesse.
O atestado, escrito pelo Dr. Otto Pickhardt, dizia:
Este é para certificar que o convalescente de um acidente Hon. Winston S. Churchill requer o uso de bebidas alcoólicas, especialmente nas refeições. A quantidade é naturalmente indeterminada, mas as necessidades mínimas seriam de 250 centímetros cúbicos.
E assim Sir. Winston Churchill foi autorizado a beber livremente nos Estados Unidos, quando a todos era proibido.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

871 - Café e câncer

A Organização Mundial da Saúde (OMS) retira o café da lista de possíveis causadores do câncer de bexiga. O produto permaneceu nesta lista por 25 anos. O Departamento de Pesquisas sobre Câncer da organização deve se pronunciar ainda sobre a revisão e deve também absolver o produto do risco de provocar outros cânceres, como o de pâncreas e de próstata.
Nos últimos anos, diversos estudos não encontraram relação direta entre câncer e o consumo de café, tendo encontrado, inclusive, alguns benefícios em relação a alguns tipos da doença.
A reviravolta na OMS vem na esteira da revisão, pela Agência Internacional de Pesquisa do Câncer (IARC, na sigla em inglês), de mais de mil estudos que não indicavam o café como causador de câncer, conforme detalhes concedidos ao The Wall Street Journal. Pesquisadores da IARC concluíram que "não há qualquer evidência de risco cancerígeno oferecido pelo consumo de café".
Os cientistas constataram que diversos estudos mostravam que o consumo da bebida não oferecia efeitos cancerígenos no pâncreas, mamas e próstata, além de "observar a redução de riscos no câncer de fígado e endométrio uterino".
A IARC, entretanto, passou a apontar o consumo de bebidas muito quentes como "provavelmente cancerígenas". A Agência não especificou o que pode ser considerado "muito quente" e determinou a classificação com base em "evidências limitadas" de estudos sobre o câncer de esôfago na Ásia e América do Sul, onde bebidas são consumidas numa temperatura média de 70 graus Celsius.
O Instituto Norte-Americano de Pesquisa do Câncer, por sua vez, lista o café como produto que combate o câncer, diante da variedade de fitoquímicos e compostos biologicamente ativos presentes na bebida.
Um estudo realizado pelo Instituto Dana-Farber de Câncer, publicado no ano passado, apontou que o consumo regular de cafeína pode prevenir a reincidência do câncer de cólon após o tratamento e aumenta as chances de cura. (Fonte: Dow Jones Newswires)
No Acta:
377 - Beber café e não morrer...
805 - A questão do café

sexta-feira, 17 de junho de 2016

870 - O túmulo seguro


Os estudantes de medicina no Reino Unido do século XIX, enfrentavam um dilema. Eles estavam acostumados a usar os corpos de criminosos executados para estudar anatomia. A utilização dos cadáveres dos condenados para descobrir os segredos da anatomia humana remonta ao século 4 a.C, quando Herophilos e Erasístrato de Alexandria receberam permissão para apresentar vivissecções ao vivo.
Os tempos, porém, haviam mudado, e os criminosos só podiam ser dissecados após a execução. E havia outro problema relacionado com o abrandamento das punições pelos crimes. Devido a isso, apenas cerca de 50 pessoas por ano estavam sendo executadas no Reino Unido. enquanto a demanda anual de corpos para a dissecação pela crescente classe médica ultrapassava esse número dez vezes.
Um infame comércio de cadáveres passou então a prosperar. No entanto, aqueles que tinham perdido algum ente querido logo desenvolveram uma arma contra isso: o mortsafe.
O primeiro mortsafe foi feito por volta de 1816. Eles baseavam-se em diferentes desenhos e a única coisa que tinham em comum era o fato de que eram pesados, o que tornava muito difícil a exumação de um recém-falecido. O mortsafe era engenhoso: um complexo de barras de ferro e placas fincadas no chão e que se elevavam acima dele a fim de dar sustentação a uma pesada pedra.
The Mortsafe: Or How to Protect Your Loved Ones from the Bodysnatchers, Kuriositas

sábado, 11 de junho de 2016

868 - Palestra. Distúrbios funcionais do tubo digestivo no lactente

Esteve em Fortaleza para proferir a conferência Distúrbios funcionais do tubo digestivo no lactente o Dr. José César da Fonseca Junqueira, professor adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
O evento aconteceu na noite de quarta-feira (8), no restaurante Geppos, e contou com a audiência de pediatras e gastroenterologistas de nossa cidade.
Tópicos
Regurgitação: a primeira causa de mudança de fórmula. A criança regurgitadora. Guidelines: Rome III ► Rome IV. Principais sintomas da DRGE: choro intenso, náusea e baixo ganho ponderal. Ácido clorídrico ;► pH = 4 ► ativação do pepsinogênio ► pepsina. Esofagite: rara em lactente. Facilitadores da DRGE: prematuridade, paralisia cerebral, laringotraqueomalácia e constipação. Exames: manometria, impedância e pHmetria. Tratamento: postural, procinéticos, inibidores da secreção ácida (ranitidina, omeprazol e lansoprazol) e fórmulas espessadas. Goma jataí: para RGE não complicado.
Link para o artigo Doença do refluxogastroesofágico: diagnóstico e tratamento, do prof. Junqueira, publicado na Revista de Pediatria da SOPERJ

quarta-feira, 8 de junho de 2016

867 - O Guia dos Pais Bárbaros




Os conselhos sobre como cuidar de crianças já percorreram um longo caminho, baby
Cuidar de bebês na modernidade não é fácil. Livros de puericultura e blogues são preenchidos com tantos conselhos contraditórios, que fazem você ficar confuso.
Mas há uma boa notícia. Você não vive em séculos passados, quando esses conselhos não eram apenas contraditórios: eram também bizarros e quase criminosos.
Uma sugestão popular de outrora: "Coloque o bebê no canto e deixe-o (sim, com o bebê sendo chamado de "it", como era de costume) por lá.
Aconselhava o livro "The Mother and Her Child", de 1916: "Lide com o bebê tão pouco quanto for possível." "Vire o bebê, ocasionalmente, de um lado para o outro, ao alimentá-lo, trocar as fraldas, mantê-lo aquecido, e deixe-o sozinho; o choro é absolutamente essencial para o desenvolvimento de pulmões fortes e saudáveis." "Você não gostaria de estragar a sua criança com algo tão bárbaro como o toque humano!"
Um manual de 1894 era também em prol da negligência: "Chorar é o exercício do bebê ", explicou o Dr. L. Emmett Holt. O bom médico desaconselhava que brincassem com o bebê antes dos 6 meses de idade para não lhe causar nervosismo e agitação.
Esses pequenos seres despertam sentimentos afetivos, mas, no passado, seria sábio você manter seus lábios para si mesmo. "Protestamos fortemente contra esse beijar a esmo e promíscuo nos bebês", entoava "The Mother and Her Child". "Afinal, beijar pode transmitir sífilis e doenças semelhantes. Se você não consegue controlar-se, então beije no topo da cabeça dele".
Miss Cellania, Neatorama

domingo, 5 de junho de 2016

866 - O consumidor conforme a idade

Quanto mais velho você fica, mais coisas vêm com esta frase:
Ao persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

864 - Dr. Heimlich finalmente usa sua manobra

Aos 96 anos, o Dr. Heimlich, finalmente, começou a usar a manobra salva-vidas que ele inventou: https://t.co/JSB4bU4og7 pic.twitter.com/vKO4kfU9mG
EUA (@USATODAY) – Henry Heimlich, o inventor da manobra que já salvou inúmeras vítimas de asfixia por corpo estranho, tem 96 anos e vive num lar de idosos em Cincinnati. Os funcionários dessa instituição são treinados na manobra de Heimlich, mas, na segunda-feira passada, quando Patty Ris, de 87 anos, teve um pedaço de hambúrguer alojado nas vias respiratórias, eles cederam a vez ao Dr. Heimlich.
O médico realizou o que ele havia ensinado a todos durante décadas, e a obstrução foi imediatamente desfeita. Ris agora está bem! O maior mérito é que esta foi a primeira vez que Heimlich usou sua manobra para salvar a vida de alguém.
Em entrevista por telefone, na quinta-feira, Heimlich contou o que aconteceu. Ris estava sentada a uma mesa, ao lado dele. "Quando eu usei a manobra, ela se recuperou rapidamente", disse ele. "Isso me fez refletir sobre quão maravilhoso é este procedimento, que tem sido capaz de salvar todas essas vidas".
Seu filho, Phil Heimlich, disse que o pai regularmente atende pessoas que foram salvas ou salvaram outras pessoas de asfixia por corpo estranho. "Só o fato de que um homem de 96 anos de idade pode realizar isso, já é impressionante", disse ele.
Heimlich vive há seis anos nesse lar de idosos, mas ainda permanece ativo e em forma.
No Vietnã, ele é mais conhecido por outro de seus inventos: a válvula de drenagem torácica Heimlich. Diz ele: "A coisa mais comovente em minha vida aconteceu em 1993, quando fui para o Vietnã, com 25 cirurgiões de tórax. Ao ser apresentado como Dr Heimlich, e tendo o nome conhecido por todos. eu pensei que era por causa da manobra de Heimlich. Mas, em seguida, o homem que me apresentou disse que era por causa da válvula de drenagem torácica, que já salvara milhares de vidas no Vietnã".
De uma nota no Deaconess:
A carreira de Dr. Heimlich é notável pela abundância de soluções criativas e simples que, a partir de 1945, ele indicou para problemas de saúde aparentemente insuperáveis,. Embora atribuído também a um Grupo Naval dos EUA na China, durante a Segunda Guerra Mundial, Dr. Heimlich inventou um tratamento inovador para as vítimas de tracoma, uma infecção bacteriana das pálpebras, então incurável e que estava causando cegueira na Ásia e no Oriente Médio. Ao usar uma mistura de sulfadiazina em uma base de creme de barbear nos pacientes com tracoma, um tratamento que se mostrou eficaz em centenas de pessoas.
De outra nota no Metafilter:
Seu filho, Peter M. Heimlich, alega que, em agosto de 1974 seu pai publicou o primeiro de uma série de relatos de casos fraudulentos, a fim de promover o uso de compressões abdominais para o salvamento de vítimas de quase-afogamento. Peter já gastou muito tempo acusando o pai e não somente por esta conduta.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

863 - É de arrepiar!

Parabéns!
No meio científico isso é chamado de piloereção, um dos mecanismos geradores de calor para a pele. No mundo dos sentimentos sinaliza que a alma concorda com o coração.

terça-feira, 24 de maio de 2016

862 - Conselhos


Pinçando o 7
A única coisa a fazer com os bons conselhos é passá-los a outros; pois nunca têm utilidade para nós próprios. ~ Oscar Wilde

sábado, 21 de maio de 2016

861 - Calendários macabros

Nos dias de hoje, estamos acostumados com a publicidade farmacêutica em tons suaves e parágrafos de letra miúda. Mas, no final da década de 1890, uma empresa de St. Louis, nos Estados Unidos, divulgava seu produto para aliviar a dor com a distribuição de calendários macabros mostrando esqueletos em situações do quotidiano.
Ironicamente, a acetanilida, a substância presente na Antikamnia, que tinha entre seus efeitos colaterais o de provocar a cianose, acabou por se revelar uma droga perigosa, inclusive letal.
Ilustrador do calendário: Louis Crusius
Mas, apesar de seus perigos, Antikamnia parece ter sido eficaz no alívio da dor e da febre. Cerca de 50 anos depois, os cientistas descobriram um produto metabólico a ela relacionado, que é conhecido atualmente pelo nome de paracetamol.
The Deadly Pain Medicine Vendido por esqueletose-sold-skeletons, Mental Floss

quarta-feira, 18 de maio de 2016

860 - O painel mata-mosquito

O painel que atrai e mata o Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.
Como funciona
  1. Um dispositivo joga no ar uma solução à base de ácido lático e CO2, que reproduz o odor produzido pelo suor e a respiração humana.
  2. A combinação dessas duas substâncias atrai o mosquito em uma distância de até 4 km.
  3. Luzes fluorescentes potencializam a atração, facilitando que o inseto se aproxime da peça.
  4. Como o Aedes voa, em média, a 1 metro e 20 de altura, o mecanismo de captura foi instalado na base do painel.
  5. Esse sugador captura o mosquito, que fica preso dentro da peça.
  6. Depois de preso, o mosquito morre desidratado.

Toda a tecnologia do projeto está disponível online, em modo de Creative Commons, para que as pessoas do Brasil e do mundo possam replicar a ideia.
This Billboard Kills Mosquitoes, Neatorama
No Acta
396 - Aedes transgênico
569 - Picadas de insetos
834 - A técnica do inseto estéril

domingo, 15 de maio de 2016

859 - O destino da frenologia

A estrutura lógica e fácil de aprender da teoria frenológica rapidamente capturou a imaginação de milhares de seguidores. A precisão e certeza científica de seus termos e mapas avançou em um momento onde os principais inimigos do racionalismo eram a religião, a subjetividade e a autocracia. Devido a isso, Gall (o médico austríaco Franz Joseph Gall, que foi pioneiro no noção de que diferentes funções mentais são de fato localizadas em diferentes partes do cérebro) ganhou o apoio, se não as mentes, de muitas figuras científicas e políticas importantes em muitas partes do mundo. Ele era o seu campeão, em um terreno dominado pelos ensinamentos de filósofos religiosos.
Eventualmente, a frenologia foi atacada pelo estabelecimento científico, que não podia corroborar a teoria de Gall com achados concretos. Já em 1808, o Instituto de France montou uma comissão de sábios. liderado por Cuvier, que declarou que a frenologia não era para ser confiável (alguns historiadores suspeitam que eles tampouco tiveram alguma evidência científica para apoiar esta reivindicação, e que a conclusão foi forçada por Napoleão Bonaparte, que estava furioso porque, com a interpretação de Gall de seu crânio, "perdera"algumas qualidades nobres que ele achava que tinha.
A frenologia foi equiparado a outras formas de charlatanismo, principalmente devido aos abusos nas mãos de empresários comerciais obscuros. Sua morte aconteceu no último trimestre do século dezanove. No entanto, ela gerou muitos outros ramos científicos ou pseudocientíficos com base na análise quantitativa de características faciais e cranianos, tais como a craniologia, a antropometria e a psicognomia, muitas das quais sobreviveram até as eras modernas . Surpreendentemente, ainda existem seguidores e crentes da frenologia ao redor do mundo.
Extraído de: Phrenology: the History of Brain Localization, por Renato M.E. Sabbatini, PhD. In: Brain and Mind
(Image credit: Wellcome Library no. 11847i, Photo number: V0011119)

quinta-feira, 12 de maio de 2016

858 - Um trocadilho médico





"Minha irmã teve recentemente uma parte de seu cólon removido por causa do câncer. Dei-lhe esta camisa para comemorar o sucesso da cirurgia."

418 - Um trocadilho médico

segunda-feira, 9 de maio de 2016

857 - Técnicas de lavagem das mãos

Manter as mãos limpas é a melhor maneira de prevenir a propagação de infecções. Entretanto, é surpreendente saber que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) discordam sobre como fazê-lo mais eficazmente.
Qual deles oferece a melhor opção?
Resultados - Pesquisadores da Glasgow Caledonian University demonstraram que a prática de higienização das mãos em seis etapas da OMS é superior ao protocolo de três etapas do CDC.
Humor
NÃO LAVOU AS MÃOS

sexta-feira, 6 de maio de 2016

856 - O gás de buzina




São dois gases derivados do petróleo - o butano e o propano - misturados na proporção de 70 para 30 por cento, respectivamente. Assim é que o frasco padrão, com 300 ml de gás de buzina, contém 210 ml de butano e 90 ml de propano.
Pressionando-se a válvula do frasco, os gases são liberados e fazem soar uma corneta que integra o conjunto.
É esse barulho estridente da corneta que popularizou o gás de buzina em bailes de formatura, eventos esportivos, manifestações políticas e festas de condomínio.
Quando inalado, o gás de buzina provoca alucinações e euforia pelo comprometimento da oxigenação cerebral, o que leva muitos jovens desavisados a usá-lo exatamente em busca desses efeitos. E, como essas sensações são fugazes (pois duram apenas cerca de 10 segundos), os usuários tendem a consumir o gás repetidamente.
Mas o gás, que sai do frasco a uma temperatura de - 20º C, também causa lesões pulmonares e cardíacas, por vezes fulminantes. No Brasil, já há registro de vários casos de morte pelo gás de buzina.
Além disso, o consumo crônico do gás causa danos cerebrais com consequências conhecidas como a diminuição da memória e da capacidade de aprendizado.

sábado, 30 de abril de 2016

854 - Óculos especiais para nós

Cerca de 60 por cento das pessoas com síndrome de Down têm problemas de visão, de acordo com o National Institute of Child Health and Human Develpment. Mas a maioria dos óculos disponíveis não se encaixa nas características faciais das pessoas que são portadoras da síndrome.
Maria Dellapina, uma mãe solteira de 4 filhos, tomou conhecimento desse problema a partir do momento em que sua filha Erin passou a precisar de óculos. Nenhuma armação encaixava-se na ponte nasal e rosto achatado de Erin.
Então, em 2004, ela fundou a Specs4us, uma empresa que produz óculos para crianças e adultos que têm essas necessidades especiais.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

853 - A evolução da Miss América

Ao longo do tempo, a vencedora do concurso anual de Miss América tem sido uma mulher cada vez mais magra. Psychguides.com construiu este gráfico em que compara o IMC (Índice de Massa Corporal) das vencedores do concurso com o IMC médio da mulher americana jovem (20 a 29 anos) à mesma época.

Nas primeiras gerações, os escores de IMC para as vencedores do Miss America situaram-se na faixa do peso saudável (18,5 – 24,9), mas logo começaram a sua descida para a faixa do baixo peso. Usando dados históricos das vencedores do concurso e das mulheres americanas jovens, o site encontrou que as únicas décadas em que o IMC da Miss America caiu no mesmo intervalo das mulheres americanas jovens foram 1940 e 1950. Nas décadas seguintes, as vencedores do concurso tornaram-se significativamente mais magras, enquanto o IMC da mulher média passou a aumentar. Agora, mais do que nunca, a imagem ideal de beleza retratada pelo concurso não representa a imagem das mulheres americanas.

domingo, 24 de abril de 2016

852 - Por que existem as sardas?

As sardas não existem apenas para dar destaque a seus portadores. E há uma razão genética por que algumas pessoas as possuem e outras, não.
As sardas são áreas de pele em que há aumento da melanina. Ninguém nasce com sardas. Elas são produzidas, a partir da exposição solar (por isso, aumentam durante o verão), por células chamadas melanócitos que se aglomeram em pequenas áreas de pele.
E a melanina, que é a proteína responsável pela cor da pele, olhos e cabelos das pessoas, além disso funciona como um protetor solar natural.
Vídeo

quinta-feira, 21 de abril de 2016

851 - Tuberculose, ainda um problema de saúde pública no País

Crédito
Fortaleza é um dos municípios prioritários para o controle de tuberculose no Brasil. Segundo a Secretaria da Saúde do Estado, em 2014, para cada 100 mil habitantes de nossa Capital, 58 foram diagnosticados com tuberculose, sendo esta incidência maior do que a incidência no Ceará (38) e no Brasil (33).
Dra. Mônica Facanha, Blog do MG

A transmissão da tuberculose ocorre pela tosse, espirro e até pela fala. E a forma de controlar a doença é identificar os casos suspeitos, confirmar a enfermidade e tratar as pessoas acometidas pela tuberculose para que elas deixem de contaminar o meio ambiente. Cada pessoa portadora de tuberculose pulmonar, enquanto não está sendo tratada, é capaz de transmitir a infecção tuberculosa a outras 10 a 15 pessoas e, dentre estas, uma ou duas adoecerão nos próximos dois anos.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

850 - Psicoterapia para ratos deprimidos

CHICAGO – Emitido pela Northwestern University, o comunicado Psychotherapy for depressed rats shows genes aren’t destiny (Psicoterapia para ratos deprimidos mostra que genes não são destino) começa assim dizendo:
Os genes não são o único fator que determina se uma pessoa vai sofrer de depressão. O ambiente é também um fator importante e, quando estimulado, pode substituir a natureza.
Quando ratos geneticamente criados para a depressão receberam o equivalente a uma "psicoterapia de rato", seu comportamento depressivo foi aliviado. E, depois da terapia, estes ratos passaram a apresentar alguns dos seus biomarcadores no sangue para a depressão alterados para níveis não-deprimidos.
"O ambiente pode modificar uma predisposição genética para a depressão", disse Eva Redei, principal autora do estudo e professora de Psiquiatria e Ciências Comportamentais da Northwestern University Feinberg School of Medicine.
DESAFIO – Se você é um psiquiatra que, em uma base regular, vem atuando com êxito em psicoterapia para ratos, nós gostaríamos de ouvir detalhes de seus métodos e de sua tabela de honorários.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

849 - Tatuagens tecnológicas

A companhia estadunidense Chaotic Moon acaba de apresentar uma nova técnica de tatuagem chamada Tech Tats para fins estritamente médicos e esportivos. Como explicam seus criadores, essa tatuagem eletrônica ao ser colocada na pele proporciona informações médicas do seu portador, em tempo real, que podem ser usadas tanto para o controle de enfermidades crônicas como para a detecção dos sinais vitais durante a prática de esportes. A tatuagem eletrônica não produz dor durante a execução, pois prescinde do uso de máquina e agulhas para introduzir pigmentos na pele. Ao invés das tintas vegetais ou acrílicas, comumente utilizadas pelos tatuadores tradicionais, emprega-se na Tech Tats uma tinta eletrocondutora especial que é depositada sobre a pele por um aplicador ou transferida a partir de um adesivo.
A tatuagem se complementa com um microcontrolador e LEDs que dão uma aparência de circuito eletrônico personalizado a ela. Os dados coletados são transmitidos para o smartphone do usuário através de um aplicativo projetado para essa fim.

A empresa, com sede em Austin, pretende aperfeiçoar a tecnologia Tech Tats, tendo em vista a futura comercialização do produto. Será personalizado e configurado com as funções desejadas pelo usuário. Assim, além da estética futurista e da novidade dos microLEDs aderidos à pele, a tatuagem poderá ajudar a controlar  a glicose, os hormônios tiroidianos etc. Inclusive realizar a geolocalização de portadores de Alzheimer que tenham se perdido.
Fonte: http://blogthinkbig.com/tech-tats-tatuajes-electronicos-con-fines-medicos-y-deportivos c/ vídeo
93 - Uma revista feita nas coxas
346 - Não ressuscitar
688 - Henna com PPD
706 - A tatuagem paramédica
766 - Paizão
810 - É verão!
Poderá também gostar de ver
O homem tablatura | Wood tattoo | A estupidez de óculos

terça-feira, 12 de abril de 2016

848 - Hospital de Messejana capacita profissionais em transplante de coração

Fonte; Agência Brasil
O Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, em Fortaleza, está capacitando 60 profissionais da saúde de cinco estados como forma de ajudar na criação e no aperfeiçoamento de serviços de transplantes cardíacos pelo Brasil.
Considerado referência no Norte e no Nordeste e uma das três maiores instituições do Brasil em número de transplantes, o Hospital de Messejana, da rede pública do Estado do Ceará, recebe mensalmente médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos e outros profissionais vindos de hospitais do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Maranhão e Bahia para aulas teóricas e práticas.
Esta semana, eles estiveram em Fortaleza para a terceira atividade presencial da capacitação, que tem duração total de dois anos. O Centro de Tutoria em Doação de Órgãos e Transplante Cardíaco do Hospital de Messejana, responsável pela capacitação, surgiu a partir de uma portaria do Ministério da Saúde, de 2012, que estimulava unidades de saúde do Brasil a participar da formação de novas equipes de transplantes em hospitais do do país.
(Ler mais.)
Desde 1998, o Hospital de Messejana já fez 340 transplantes de coração em adultos e crianças. Atualmente, a média destas cirurgias é 20 por ano. A unidade também faz transplantes de pulmão.
No Acta:
63 - Captação de órgãos e tecidos para transplantes
269 - O 1º transplante do pulmão do Norte e Nordeste
335 - Transplantes de pulmão no Hospital de Messejana
493 - HM 80 anos
825 - SUS é a maior obra da história do Brasil

sábado, 9 de abril de 2016

847 - Cem mil visualizações

Acta Pulmonale atinge hoje, conforme o histórico do Blogger dos últimos 5 anos, a marca das 100 mil visualizações de página.
Iniciado em 05/02/2010, AP disponibiliza até o momento, em sua página principal e arquivos, 847 postagens e 96 comentários.
Somos gratos a todos que nos prestigiam.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

846 - Quem fratura um dedo fatura um amigo

Ellen Terry, aos 16 anos de idade
Em 1856, Ellen Terry, aos 10 anos de idade, estava prestes a dizer a fala final de Puck, em "Sonho de Uma Noite de Verão", de Shakespeare, quando um assistente de palco fechou um alçapão sobre seu pé, quebrando-lhe o hálux, vulgo dedo grande do pé. Ela gritou, e a gerente Ellen Kean ofereceu dobrar seu salário se ela terminasse a representação.
Assim, apoiada por Kean de um lado e por sua irmã Kate, por outro, ela recitou o monólogo.
"Como eu consegui, não sei!", escreveu Ellen em seu livro de memórias, de 1908. "Mas meu salário foi duplicado – de quinze xelins para trinta – e Mr. Skey, diretor do Bartolomew's Hospital, que estava por lá, naquela mesma noite foi até os bastidores para recolocar o meu dedo do pé no lugar certo. Ele ficou sendo meu amigo pela vida toda".
Fratura do hálux
http://www.clinicadeckers.com.br/html/orientacoes/ortopedia/109_fratura-halux.html
Por que nós ainda temos os dedos dos pés?
Sério, por quê? Eles são péssimos para pegar as coisas, quebram facilmente, e eles parecem, em um sentido puramente estético, meio estranhos.
Leia a resposta no Acta Obscura.